Caxias do Sul - RS: (54) 3211-4877
Piracicaba/SP: (19) 3429-1133
São Carlos/SP: (16) 3368-4411
S. José do Rio Preto/SP: (17) 3216-5454
São Paulo/SP: (11) 3377-8277
Jacareí/SP (CD): (11) 3956-6550
Anthis Metalúrgica/SP: (11) 2334-6122

Destaques

Blog Sacchelli

Como o mercado de aço é impactado pela slowbalisation

slowbalisation

Como o mercado de aço sofre com o crescimento do slowbalisation? Essa é uma pergunta importante e você encontrará respostas para ela neste artigo. 

A tendência de desaceleração da globalização, slowbalisation, foi detectada há algum tempo. Segundo o The Economist, publicação inglesa respeitada em todo o mundo, existem indicadores que demonstram a “redução lenta da globalização” ou “slowbalisation”.  

A porção do comércio como parte do PIB global caiu e as multinacionais identificaram uma queda em sua participação nos lucros globais.  

Além disso, o investimento direto estrangeiro caiu de 3,5% do PIB mundial em 2007 para apenas 1,3% no ano de 2018. Assim, fica entendido que o mundo já passou do pico da globalização e agora tende a internalizar mais sua economia em vários aspectos. 

De acordo com o The Economist, o real motivo por trás dessa desaceleração é de uma natureza mais estrutural. Observe a explicação: 

“O custo de movimentação de mercadorias parou de cair. Empresas multinacionais descobriram que a expansão global queima dinheiro e que os rivais locais muitas vezes os comem vivos. A atividade está mudando para serviços, que são mais difíceis de vender internacionalmente: tesouras podem ser exportadas em contêineres, cabeleireiros não. E a manufatura chinesa se tornou mais auto suficiente, então precisa importar menos peças.” 

Além do mais, agora precisamos somar à essa lista, o impacto da pandemia. Pela importância do assunto, preparamos este artigo que vai oferecer mais detalhes sobre essa desaceleração. Acompanhe e descubra como a slowbalisation afeta o mercado de aço. 

Quais fatores levaram o mundo da globalização para a slowbalisation? 

Nos últimos anos, o mundo vem experimentando um novo advento de políticas protecionistas e guerras comerciais. Este novo cenário deixou evidente aos especialistas a trajetória da slowbalization.  

Depois da globalização atingir seu pico no começo da década de 2000, investimentos diretos estrangeiros tiveram uma diminuição em sua representação no PIB mundial. Acontecimentos que ocorreram a partir da crise de 2008. 

Agora, além desses fatores temos a pandemia, que paralisou todo o mundo e, em primeiro lugar a China, classificada como a “fábrica global” devido à sua representatividade na exportação mundial e na cadeia de suprimentos e produção.  

A paralisação de um país tão relevante, senão o mais importante para a economia mundial, afetou vários setores e o mercado de aço não ficou de fora.  

O resultado foi alarmante para todo o planeta, 4% de redução das importações chinesas e 17% nas exportações. Esses fatores em conjunto com as mudanças geopolíticas que avançam com governos nacionalistas e protecionistas colocou a corda no pescoço da globalização. 

Além disso, a transformação digital acabou com os limites para o acesso às tecnologias e colocou a qualidade de produtos e serviços num padrão mundial – outro fator que vem transformando a cadeia de suprimentos. 

Atualmente o consumidor pode encontrar o que procura muito próximo a ele. E atender suas expectativas com os produtos personalizados de acordo com o comportamento de consumo local.  

Além do mais, essa proximidade colabora para entregas cada vez mais ágeis.  

Porque o mercado de aço é afetado pelo efeito slowbalisation? 

Para entender os efeitos da slowbalisation no mercado de aço, é preciso entender que, além dos efeitos geopolíticos, há outro fator que influencia a desaceleração.  

Trata-se dos avanços tecnológicos. A tecnologia permite a análise minuciosa e programática de recursos produtivos, garantindo que as empresas operem somente com o estoque necessário para atender suas demandas. 

Assim, é possível manter um estoque inteligente, sem falta nem excesso de matéria-prima e outros recursos produtivos.  

É mais fácil operar desse modo com parcerias locais, visto que para importar diretamente é necessário a compra em grandes quantidades e com prazos de entrega maiores.  

Além disso, deve-se considerar os custos elevados para obtenção de matéria prima internacional e o valor do combustível que não para de aumentar em todo o planeta. Fator que interfere abruptamente no valor de transporte de mercadorias e funciona como um efeito dominó de reajustes que termina no bolso do consumidor. 

Com o estabelecimento global quase total da logística pautada na programação de pedidos, quando a compra é efetuada e a entrega é feita sob demanda, as empresas podem operar com estoques mínimos. 

Como resultado, é possível maximizar a redução de custos e aprimorar a eficiência de suas rotinas e processos, deixando-os mais ágeis e enxutos 

Esta realidade exige das empresas planejamento cuidadoso da demanda de recursos produtivos para garantir que não falte material. Mais um motivo para o estreitamento de negócios entre empresas locais do mercado de aço. 

Ao invés de adquirir materiais em grandes quantidades por preços menores, as empresas buscam por qualidade e excelentes condições comerciais. E entregas nem sempre no ato da compra, mas conforme necessidade da produção. 

Assim, a mão de obra local ganhou mais espaço na negociação de materiais. Além de qualificada e com domínio nas etapas produtivas, soluções tecnológicas gerenciam as etapas dos processos visando o mínimo de desperdícios e interrupções. 

Em outras palavras, o mercado de aço local, como outros setores, tem condições de atender com qualidade e boas condições comerciais. 

Sacchelli: se destacando no mercado de aço da América Latina 

De acordo com dados do Instituto do Aço Brasil, em abril de 2021, o mercado de aço viu as vendas internas atingirem 1,9 milhão de toneladas. Isso representa um crescimento de 96,1% quando comparado com abril do ano anterior.  

Diante dessa alta demanda, mais do que nunca é preciso contar com a parceria de uma empresa especializada em distribuição de aço. Assim, não há risco de ficar sem material e interromper a produção. 

No mercado de aço há mais de 55 anos, a Saccheli é referência no setor. Aqui, abrimos um parêntese para lembrar que, cada vez mais, os consumidores buscam empresas e produtos (ou serviços) que tenham responsabilidade social e ambiental. Mais um fator que colabora para alterar o mercado de aço e desacelerar a globalização.  

Esses recursos em união com o novo mindset dos gestores, promovem a visibilidade e o controle da cadeia de suprimentos. Também permitem que a indústria detecte falhas rapidamente e tenha uma programação lógica e ordenada dos processos de produção. 

Do mesmo modo, garante o controle exato da compra e utilização de recursos produtivos, fatores que resultam em rotinas eficientes, otimizadas e seguras. 

Pronto, agora você entende o conceito de slowbalisation e sabe como isso afeta o mercado de aço. Sabe, ainda, como é importante contar com parceiros comerciais experientes e idôneos para evitar problemas na aquisição de aço e outros recursos produtivos. 

 

Sacchelli dispõe de um dos maiores estoques de aços especiais para construção mecânica da América do Sul, provenientes de usinas qualificadas nacionais e internacionais.  

Atuando desde 1966 no mercado de aço, oferece soluções personalizadas de acordo com a especificidade e volume da demanda de cada um de seus clientes. 

Entre em contato conosco e descubra como podemos atender suas demandas para que você opere de modo programado, otimizado e seguro. 

Newsletter